Destaques dos jornais

  1. Durante encontro de 50 minutos com Dilma, Michel Temer reafirmou os pontos de sua insatisfação que estavam na carta. A presidente reconheceu erros no passado e prometeu trabalhar para evitá-los. “Decidimos que teremos relação extremamente profícua, tanto pessoal quanto institucionalmente, sempre considerando os interesses do País”, afirmou Dilma, por meio de nota.
  2. Julgamento no STF pode ficar para 2016. A ação é longa, com 74 páginas e questionamentos de vários artigos da lei. Por isso, pode demandar mais de um dia de julgamento. Após as sessões da semana que vem, o Supremo entrará em recesso, voltando aos trabalhos em fevereiro. O governo avalia que o melhor seria concluir o assunto rapidamente.
  3. A rápida deterioração econômica deixou o Brasil mais perto de perder o grau de investimento pela agência de classificação de risco Moody’s. A agência colocou ontem a nota do país em observação para o rebaixamento. A mudança significa que nova decisão sobre a nota deve ser tomada em até três meses.

Destaques da agenda

  • 11h – Dilma participa da posse do presidente da Argentina, Maurício Macri
  • Reunião do Conselho de Ética para analisar processo contra Eduardo Cunha
  • 11h – CNI divulga Indicador de Custos Industriais referente ao 3º trimestre 2015