Destaques dos jornais

  • Governo aposta suas fichas na aprovação, amanhã, do projeto que muda a meta fiscal de 2015 para evitar a suspensão dos gastos públicos não obrigatórios. Palácio do Planalto se organiza para garantir que a base aprove o déficit de R$ 51,8 bilhões. O ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, disse que Dilma conduzirá pessoalmente a articulação. Ela terá reunião com os líderes aliados amanhã antes da sessão do Congresso sobre a meta fiscal.
  • Após atravessarem um ano difícil na economia, governadores podem não conseguir arcar com a última grande obrigação financeira de 2015: o pagamento do 13º salário do funcionalismo público. Em ao menos quatro Estados (MG, RJ, RS e RN), além do DF, servidores e inativos estão sob ameaça de atrasos na remuneração até as vésperas do Natal.
  • Anotação apreendida pela Procuradoria-Geral da República aponta que o banco BTG Pactual pagou R$ 45 milhões ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para ver interesse do banco de André Esteves atendido em uma medida provisória. O texto foi encontrado por policiais federais na casa de Diogo Ferreira, chefe de gabinete do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), e preso com ele na semana passada.

Destaques da agenda

  • O governo anuncia cortes no Orçamento da União de 2015 no valor de R$ 10 bilhões.
  • O governo federal e os estados de Minas Gerais e do Espírito Santo entram com uma ação na Justiça para cobrar R$ 20 bilhões das empresas responsáveis pelo rompimento da barragem em Mariana (MG).
  • Feriado em Brasília (Dia do Evangélico).