Destaque dos jornais

  • Dilma não fará corte adicional no Orçamento deste ano para cumprir a meta que está em vigor. Isso tecnicamente exigiria bloqueio de gastos estimado em R$ 105,4 bilhões. Crise gerada pela prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves inviabilizou planos do Palácio do Planalto de aprovar nesta semana no Congresso proposta de mudança da meta fiscal.
  • O ministro Joaquim Levy antecipou que o governo “vai cumprir” a determinação do TCU e anunciar na segunda-feira corte de todos os recursos disponíveis para gastos até o fim do ano, para não incorrer em infração no fechamento das contas de 2015, já que o Congresso não votou a mudança na meta fiscal deste ano. Ainda está em vigor a obrigação de fechar 2015 com superávit primário de 1,1% do PIB.
  • O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou ser possível que decida até segunda-feira autorizar ou arquivar os pedidos de impeachment contra Dilma. Disse que estão prontos todos os pareceres em relação aos pedidos de impeachment, incluindo o assinado pelo ex-petista Hélio Bicudo e pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior.

Destaques da agenda

  • 11h – CNI divulga índice nacional de expectativa do consumidor de novembro.
  • 15h – Miguel Rossetto (Trabalho) faz balanço da adesão de empresas ao Programa de Proteção ao Emprego (PPE).