Destaques dos jornais:

  • Equipe econômica do governo avalia adiar o reajuste do salário mínimo para maio. Para compensar a queda de arrecadação tributária, a proposta também inclui a postergação de reajuste salarial dos servidores. As duas medidas fariam parte do plano do governo de reduzir gastos para compensar a frustração de receita.
  • Com uma dívida total de R$ 506,6 bilhões e reduzindo seus investimentos, a Petrobras tem pressionado o Palácio do Planalto por um novo reajuste dos combustíveis. Embora os preços do petróleo estejam em baixa desde o segundo semestre do ano passado, essa seria uma forma de ajudar a estatal a reequilibrar suas finanças, que foram abaladas, entre outros fatores, pelo escândalo da Operação Lava-Jato.
  • O site do Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou que a segunda turma do tribunal se reunirá extraordinariamente nesta quarta-feira, 25, às 9 horas, para discutir “processos levados em mesa”. A sessão, proposta pelo ministro Teori Zavaski, será secreta, procedimento que não acontece há cerca de 20 anos no Supremo. A composição da segunda turma é a seguinte: Dias Toffoli (presidente), Celso de Mello, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Teori Zavascki. “Processos a serem levados em mesa” são aqueles que não dependem de publicação prévia para serem examinados. Há duas razões para supor que a operação Lava-Jato faz parte da pauta: trata-se do principal assunto da segunda turma; a reunião foi proposta pelo relator da Lava-Jato (site Visão Nacional).

Destaques da agenda:

  • Congresso analisa vetos presidenciais e mudança na meta fiscal de 2015.
  • O Comitê de Política Monetária (Copom) anuncia a taxa básica de juros (Selic).
  • 10h– Leilão de 29 usinas hidrelétricas com concessões vencidas, com as quais o governo espera arrecadar cerca de R$ 11 bilhões.